Reportagem do Jornal O Popular de domingo confirma: Caldas Novas é a terceira cidade de Goiás em qualidade de vida

Categoria: Lazer, Notícia, Saúde, Turismo

Pesquisa com apoio da FGV considerou cidades com até 100 mil habitantes. No geral, Caldas Novas fica em sétimo em Goiás e em 80ª no Brasil. Levantamento considera principalmente garantias para idosos

IDL - Caldas Novas

Reportagem do jornal O Popular do último domingo, 14 de maio, mostra que Caldas Novas aparece no pódio das cidades de 100 mil habitantes com melhor Índice de Desenvolvimento Humano (IDH).

A reportagem foi baseada em estudo do Instituto de Longevidade Mongeral Aegon e apoiada pela Fundação Getúlio Vargas (FGV).

No ranking nacional, de acordo com Índice de Desenvolvimento Urbano para Longevidade – IDL, o município de Caldas Novas está na 80ª posição, entre as cidades com mais qualidade de vida.

A pesquisa apontou as atuais condições de 498 cidades brasileiras, tendo em vista sua capacidade de atender às necessidades básicas, principalmente dos idosos. A cidade das águas quentes conta com um dos melhores índices em relação a bem-estar, finanças, habitação, educação e trabalho.

O estudo indicou que os brasileiros estão interessados em cidades com melhor distribuição de renda, com menores índices de violência, um trânsito menos violento, e com melhor expectativa de vida. Além disso, os mais velhos querem comunidades seguras, acessíveis e vibrantes que possam permitir um envelhecimento bem-sucedido na cidade.

Caldas Novas recebe cerca de quatro milhões de turistas ao longo do ano, que vêm visitar as águas quentes dos clubes, inclusive o Balneário Municipal. Nos últimos 20 anos a cidade teve um crescimento exponencial, devido às atrações turísticas e as águas termais. A população, residente do município, conta com um desenvolvimento urbano crescente, além dos altos índices de crescimento econômico, gerando inúmeros postos de trabalho. As melhorias interferem também na evolução dos fatores educacionais.

Porém, a pesquisa apontou que, para algumas pessoas, as pequenas cidades não constituem o lugar preferido para passar os últimos anos de vida. Mas certamente guardam atrativos suficientemente interessantes.

image

O Índice de Desenvolvimento Urbano para Longevidade – Instituto de Longevidade Mongeral Aegon/FGV é resultado da parceria entre o Instituto de Longevidade Mongeral Aegon e a Escola de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getulio Vargas (FGV/EAESP).

O secretário de Turismo de Caldas Novas, Ivan Garcia, considerou os números animadores: “Estamos melhorando muito em oferta de serviços, tanto em infraestrutura, quanto em área médica, educacional e habitação. Muitos dos turistas que nos visitam ficam encantados com a cidade e decidem se mudar para Caldas Novas, inclusive muitos os fazem na melhor idade”, disse o secretário.

Fonte: Secretaria de Comunicação de Caldas Novas

Deixe uma resposta