Departamento de Controle de Endemias de Caldas Novas intensifica combate ao mosquito Aedes Aegypti

Categoria: Notícia, Saúde

O dia “D” de manejo ambiental acontecerá na próxima sexta no setor Nova Vila

dia-d-2

A Prefeitura de Caldas Novas vai realizar na próxima sexta-feira (16) o mutirão de combate à dengue no bairro Nova Vila. O Departamento de Endemias de Caldas Novas intensifica ainda mais as ações preventivas durante o período chuvoso, para evitar o surgimento de novos focos do mosquito Aedes Aegypti. O trabalho de manejo ambiental está sendo realizado de acordo com a necessidade em toda a cidade.

A ação denominada “Mutirão de Manejo Ambiental, Goiás contra a Dengue, Zica e Chicungunya” contará com a participação de cerca de 80 profissionais entre agentes comunitários de saúde, agentes de endemias, bombeiros, equipes de apoio e pessoas da comunidade. A expectativa é visitar cerca de 800 imóveis durante todo o dia.

A Secretária da Saúde, Kélia Rosa salienta o intuito dessa ação. “O objetivo é conscientizar a população sobre os perigos da doença, que pode matar, e fazer com que todos ajudem no combate através de medidas simples como o descarte correto dos materiais que podem acumular água parada.” Disse a Secretária.

No manejo, os profissionais fazem a coleta de materiais descartáveis e ou inutilizáveis. Também realizam a limpeza dos locais que podem servir de criadouros para o mosquito Aedes Aegypti e orientam a população dos cuidados a serem tomados para a não proliferação do mosquito transmissor.

De acordo com José Manoel Alves Fagundes, Diretor do Departamento de Controle de Endemias, é importante trabalhar a prevenção. “O índice de infestação em Caldas Novas está abaixo recomendado como tolerável pelo Ministério da Saúde, mesmo assim devemos continuar com as ações preventivas, principalmente agora com a chegada do período chuvoso. E para que isso aconteça, é necessário o apoio e a colaboração constante da população, evitando deixar lixo acumulado nos quintais e verificando diariamente os locais que poderiam servir de possíveis criadouros para o mosquito Aedes Aegypti.” Acrescentou José Manoel.

Deixe uma resposta