Conferência Estadual de Saúde da Mulher discute defesa e direitos das mulheres com a presença de representantes de Caldas Novas

Categoria: Notícia, Saúde

Iniciativas serão levadas para a Conferência Nacional de Saúde da Mulher, a ser realizada em Brasília neste segundo semestre

2_conferencia_mulheres

Teve início nesta quarta-feira, 28 de junho, em Goiânia, a 2ª Conferência Estadual de Saúde da Mulher. O evento, realizado em parceria com instituições e entidades que atuam em defesa dos direitos e garantia de saúde das mulheres, prossegue até 30 de junho com o objetivo de debater e propor iniciativas a serem levadas para a Conferência Nacional de Saúde da Mulher, prevista para acontecer em setembro, em Brasília (DF).

Participam do evento três representantes de Caldas Novas, eleitas delegadas na etapa municipal da conferência da Saúde da Mulher, realizada em abril. São Elas: Emmanuela Peixoto, representante dos trabalhadores da Saúde, Cristina Roveri, representante dos usuários e Fernanda Lima, representado os gestores. Fazem parte ainda os presidentes dos conselhos municipais de Saúde de Caldas Novas e de Catalão, Severino Soares e Elizangela Rosa.

WhatsApp Image 2017-06-29 at 15.03.01

A Conferência Estadual de Saúde da Mulher é aberta à participação de todos os interessados, que inclusive terão direito a voz. A votação das propostas, no entanto, será feita por representantes dos usuários da Saúde – integrantes de associações, sindicatos, conselhos e demais entidades civis –, dos trabalhadores e dos gestores da área de saúde.

As propostas a serem discutidas na 2ª Conferência Estadual de Saúde da Mulher foram debatidas e consolidadas em conferências realizadas nas 18 Regionais de Saúde do Estado. Antes dessa fase, as discussões foram realizadas em nível municipal, em grande parte dos municípios goianos. A conferência tem como tema central “Saúde das mulheres: Desafios para a integralidade com equidade”.

O eixo principal da conferência será a Implementação da Política Nacional de Atenção Integral à Saúde das Mulheres, contemplando a Política Nacional de Atenção Integral à Saúde das Mulheres e as políticas de equidade: da população Negra (racismo, desigualdades étnico-raciais e racismo institucional), da População LGBT (discriminação por orientação sexual e identidade de gênero/preconceito e estigma social), da População em situação de Rua (reconhecimento dessas pessoas como cidadãos de direitos), da População do Campo, da Floresta e das Águas (redução de riscos decorrentes dos processos de trabalho e das tecnologias agrícolas).

Saúde da Mulher

Conforme está previsto na Constituição Federal de 1988 e nas Leis n° 8.080 de 19 de setembro de 1990 e nº 8.142 de 28 de dezembro de 1990, é fundamental que se garanta a saúde da mulher como um direito, por meio da promoção da igualdade social e da cidadania. As conferências de saúde são instrumentos para formatar em processo participativo, realizado anualmente, o diálogo entre os representantes do Estado e da sociedade para oferecer melhor qualidade de atendimento à população assistida pelo SUS.

WhatsApp Image 2017-06-29 at 15.02.42

Fonte: Secretaria Municipal de Saúde de Caldas Novas

Deixe uma resposta