Caldas Novas é escolhida como cidade piloto para implantação do programa Pré-Natal do Parceiro

Categoria: Notícia, Saúde

Equipe de saúde do município está passando por capacitação para atuar dentro do programa desenvolvido pelo Ministério da Saúde

capacitacao-saude-do-homem-2

Agentes de Saúde e profissionais do NASF – Núcleo de Apoio à Saúde da Família, que atuam em Caldas Novas, estão participando nesta quinta (24), no auditório do Clube CTC, do curso de capacitação para atuar no programa Pré Natal do Parceiro. O município foi escolhido como cidade piloto, no estado, para a implantação do projeto, que é desenvolvido pelo Ministério da Saúde.

O programa tem como objetivo preparar o homem para o exercício da paternidade ativa e fazer a prevenção de doenças, para diminuir o número de óbitos de pessoas do sexo masculino registrados no estado. A ação visa contribuir na redução da transmissão vertical da sífilis e do HIV. Segundo a Secretaria de Saúde do Município, esse acompanhamento também pode diminuir consideravelmente o risco de contágio da mãe para a criança, isto porque a mulher, mesmo com a devida atenção ao longo da gravidez, se mantiver relações sexuais com o parceiro infectado ela pode contrair a doença.

Durante o Pré-natal, o homem passa por consultas clínicas, odontológicas, exames preventivos e teste rápido de HIV, Sífilis, e Hepatite B e C. Ao acompanhar a gestante, ele aprende também, os principais cuidados com o bebê (como dar banho, ajudar na amamentação, entre outros).

“Nossa intenção é desenvolver continuamente ações preventivas. Estamos investindo na saúde primária, que são esses cuidados realizados dentro da Atenção Básica, para diminuir cada vez mais a entrada dos pacientes nos setores de média é alta complexidade.”  ressaltou a Secretária de Saúde Kélia Rosa.

A Secretária ainda afirma que esse trabalho específico de capacitação dos profissionais da saúde, é importante também para criar mudanças na abordagem e aproximação aos pacientes do sexo masculino. “É uma forma muito relevante de conscientizar a nós, gestores e trabalhadores do Sistema Único de Saúde, da importância de incorporar a população de homens nas ações de assistência integral e gerar uma mudança significativa de mentalidade e atitude dos homens quanto a sua própria saúde.”, salientou Kélia.

Deixe uma resposta